Dependência emocional: Trauma e superação

A dependência emocional é um tipo de vínculo afetivo em que a pessoa fica excessivamente apegada emocionalmente na outra, são relacionamentos geralmente amorosos, mas isto pode ocorrer também com amigos ou familiares. Este apego apresenta uma submissão ao parceiro(a) e  pode trazer sérias consequências para os dois lados.

A dependência emocional é um transtorno caracterizado por comportamentos aditivos em relacionamentos amorosos.

“Os resultados mostraram que a dependência emocional é definida como um transtorno aditivo, no qual o indivíduo necessita do outro para manter seu equilíbrio emocional. Sua etiologia está relacionada ao desenvolvimento do apego na infância, além de fatores culturais e filogenéticos.

Os tratamentos indicados são: terapia individual, terapia grupal, grupos de apoio e livros de autoajuda. Algumas inconsistências entre os estudos são discutidas, apontando a necessidade de mais estudos na área a fim de elucidar estas questões.” Segundo,Denise Catricala Bution, Amanda Muglia Wechsler.

O que leva uma pessoa ter dependência emocional?

A pessoa emocionalmente dependente com a autoestima baixa, tem medo do abandono e evita a todo custo o sentimento de rejeição. Coloca seu próprio valor nas relações que elege serem especiais ou que lhe forneça fonte de segurança e prazer. 

Geralmente são pessoas que são emocionalmente frágeis e costumam se comparar com outras, na tentativa de encontrarem meios de alcançar o reconhecimento.

O medo de errar é sempre uma grande preocupação para quem tem dependência de outros para se sentir bem.

Quais são as características principais de um dependente emocional?

O dependente emocional demonstra em suas atitudes a autoestima baixa, porque o tempo todo precisa comprovar para si mesmo(a) que é amado. Costuma criar situações de manipulação para colocar o outro em um lugar de submissão ao seu próprio desejo. Quem convive com um dependente emocional se chantageado por suas excessivas necessidades de afeto, o sentimento de culpa se instala e a pessoa acredita não ser capaz de preencher nenhuma expectativa.

O relacionamento de dependência ou relacionamento tóxico deste tipo se torna nocivo para ambas as partes envolvidas, para quem tem carência afetiva e para quem se sente obrigado(a) a se manter na relação, porque tem medo de fazer mal a pessoa que implora por sua atenção. 

O dependente geralmente faz chantagens, desmarca compromissos, tem argumentos para contra atacar os argumentos do outro, sempre na tentativa de não ceder a nada, quer apenas que o outro faça suas vontades. Quem sofre esse tipo de exigência muitas vezes se sente até ameaçado e encurralado, porque não consegue dizer não ao dependente emocional. Começa a evitar os amigos e família para não desagradar o parceiro(a).

O bem-estar e os desejos do parceiro são colocados em primeiro lugar

O dependente age como se as necessidades, o conforto e o prazer da outra pessoa estivessem acima das suas, e só se diverte por meio dela. Suas próprias necessidades são colocadas em segundo plano e eles podem negligenciar seu trabalho ou obrigações familiares.

Idealização do outro

A pessoa dependente superestima as qualidades do parceiro e não consegue enxergar os aspectos mais negativos, assumindo que o parceiro é maravilhoso, perfeito e nunca está errado. 

Como resultado, eles podem exigir tratamento privilegiado de seu parceiro de outras pessoas.

Complacência e prevenção de conflitos

Pessoas com dependência emocional muitas vezes pedem desculpas ao parceiro(a) quando ele fica com raiva, mesmo sabendo que não são responsáveis ​​pela raiva, fazem atividades desagradáveis ​​ou inadequadas apenas para agradar o parceiro, justificam os confrontos, críticas ou infidelidade do parceiro como um mal menor.

Aflição ou medo exagerado de separação

Pessoas emocionalmente dependentes sentem imensa tristeza com a possibilidade de rompimento da relação com seu parceiro, são oprimidas pela necessidade de estar constantemente com seu parceiro e um medo irracional de abandono surge na forma de uma suspeita permanente de que a outra pessoa está pensando em terminar o relacionamento.

O que a psicologia diz sobre dependência emocional?

Na psicologia é interessante que possamos ter um olhar para os dois lados da moeda, ou seja, para aquele que exige o amor e para aquele que não quer ou não pode sair deste lugar de submissão.

As necessidades podem ser as mesmas quando existe um encaixe quase perfeito e nem um nem outro consegue se desvincular. Mas o relacionamento se baseia em sentimentos negativos do que positivos, ou seja, ambos procuram o reconhecimento de seu valor, um pede e o outro doa. 

Mas quando isto passa do limite natural de trocas necessárias na vivência deste vínculo, o desequilíbrio pode se tornar patológico dando espaço para sintomas patológicos, como: ciúmes, sintomas de ansiedade, depressão, insônia, falta de interesse no parceiro, pensamentos obsessivos e abandono de atividades sociais.

O relacionamento não é saudável porque a dependência emocional traz um prejuízo tanto para quem exige e quem é exigido. Os sentimentos doentios de posse são característicos daquele que necessita o tempo todo de atenção, o que pode alimentar a ilusão de relacionamento “perfeito”.

Vou citar alguns pontos de possíveis causas da dependência emocional:

  1. Urgência em ser amado, reconhecido e valorizado
  2. Excesso de insegurança
  3. Falta de afeto ou valorização na infância
  4. A dependência emocional é vista como uma forma de amor

Como lidar com a dependência emocional?


As pessoas que por alguma razão se dedicam a vida a demandar carinho e afeto ou respostas que possam significar atenção ou amor, devem estar atentas as consequências de suas atitudes na tentativa de manter o parceiro ou parceira nos jogos emocionais. 

O vazio se manifesta em sofrimento psíquico e a falta de certeza e confiança começa a reger o ciclo vicioso, ou seja, quanto mais a pessoa pede o amor, atenção e tenta mover mundos e fundos para ser o ponto principal da vida do outro, mais o outro se assusta e reage de forma estranha. 

A relação saudável não é possível se a estrutura é por meio do medo infligido ao parceiro(a) e sim do amor. Um amor que nada pede, por isso é essencial que a pessoa que experiência a dependência emocional reflita sobre suas próprias questões e se abrir com um psicólogo poderá ser benéfico para a mudança acontecer.

Um processo de aceitação e re significação para a palavra “amor”, a busca pela segurança emocional se torna eterna, porque ninguém é capaz de preencher o vazio presente em seu peito.

A dependência emocional pode ser superada?

Um tratamento psicológico pode ser uma saída para você que quer superar a dependência emocional. Algumas dicas de como deixar de depender emocionalmente de outras pessoas

  1. Reconheça em si mesmo(a) os sintomas da dependência. 
  2. Recupere seu espaço individual. 
  3. Valorize outras pessoas sem as colocar em um pedestal.
  4. Aprenda tomar decisões com mais autonomia.
  5. Procure ajuda de um psicólogo.

Dependência emocional: tratamento e superação

Se você se reconheceu nos sintomas, está sofrendo de ansiedade por esse motivo ou a dependência emocional está afetando seu relacionamento com seu parceiro, a psicoterapia pode ajudá-lo a superar a dependência, melhorar sua autoestima e recuperar sua liberdade.

 Com isso, o estabelecimento de novas relações e vínculos significativos, como o gerado durante a terapia psicológica entre terapeuta e paciente, permitirá modificar os modelos relacionais anteriormente internalizados e melhorar a sua vida afetiva.

O tratamento psicológico pode ajudar você no enfrentamento, leva um tempo, nem sempre é rápido! 

Mas, se você se esforçar para fazer uma introspecção e análise das construções emocionais de sua vida, poderá superar as dificuldades de seu relacionamento. Fortalecer sua autoestima e reestruturar seu amor próprio.

Acreditar que você pode ser seu porto seguro é libertador. E isto torna a vida mais simples e descomplicada, porque depender o tempo todo de alguém para preencher um vazio que é constitucional do ser humano, gasta muita energia! 

Foque sua energia em você mesmo(a) e quando puder troque com alguém que você goste, mas sempre pensando em seus limites de entrega e necessidades de retorno afetivo.

A Psicóloga pode ajudá-lo a se libertar da dependência emocional e dos traumas?

A Psicóloga não apenas pode, mas quer ajudá-lo em seu processo de libertação da dependência emocional e traumas que são anteriores ou posteriores. Essa longa jornada consiste na superação de medos e inseguranças difíceis de enfrentar quando não se tem apoio, portanto, o direcionamento de um psicólogo se faz essencial. 

Saiba mais sobre os sintomas que um co dependente apresenta nos seus relacionamentos

Você tem a opção de escolher entre a terapia online ou presencial. Presencialmente os atendimentos psicológicos são na cidade de Valinhos/SP.

O nosso objetivo é oferecer um espaço de tratamento para pessoas que querem cuidar da sua saúde mental para oferecer um atendimento psicológico de qualidade e, sobretudo, acessível para pessoas em busca do bem-estar emocional. 

Todas as consultas são agendadas pelo whatsapp e você precisa confirmar por meio de um cadastro confidencial.

A psicóloga atende na modalidade individual e em terapia de casal. Não hesite em desabafar sobre as suas inseguranças e medos relacionados aos relacionamentos afetivos. 

As consultas podem ser feitas tanto pelo computador, quanto pelo celular ou por tablets

Não é fácil organizar os pensamentos e sentimentos, pode ser uma tarefa árdua, principalmente quando você procura reconstruir o amor próprio e a auto estima.

Se permita receber ajuda de um psicólogo e começar seu processo de cura.

Como marcar uma consulta?

Entre em contato com a psicóloga e agende seu horário pelo whatsapp.