Estressado com seu chefe? Veja como você pode melhorar este convívio

Afinal, um bom relacionamento entre patrões e empregados é possível, e pode atenuar, e muito, as dificuldades comuns ao dia-a-dia de qualquer empresa.

São Paulo/SP – O relacionamento com o chefe é, tradicionalmente, motivo de tensão. O constante “embate” na colocação de ideias e opiniões muitas vezes divergentes, a pressão por resultados rápidos e os prazos muitas vezes determinados “para ontem” fazem com que esta dificuldade de relacionamento se transforme em motivo de pânico.

Pensar nisso pode desanimar alguns trabalhadores, mas a proposta não é esta. O ideal é transmitir maneiras de driblar a dificuldade e contornar as diferenças.

 

Você conhece mesmo o seu chefe?

Este é o primeiro ponto a ser observado. Antes de julgar qualquer comportamento e reação de seu “superior imediato”, procure conhecê-lo melhor. Analise suas reações, observe suas características e sua forma de trabalhar. Caso ele lhe pareça exigente demais, experimente se fazer a seguinte pergunta: “como eu agiria no lugar dele?”

É claro que esta missão exigirá de você certo tempo. Aliás, este é o elemento mais importante nesta relação e é necessário respeitá-lo: um bom relacionamento profissional não nasce de um dia para outro. É preciso cultivar, identificar pontos que proporcionem a proximidade.

 

Evite o combate injustificado

Após definir, mesmo que parcialmente, o perfil do seu chefe, ficará mais fácil evitar o combate gratuito. Isso significa dizer que pequenas atitudes suas, muitas vezes desnecessárias, poderão desagradá-lo na rotina, desgastando uma relação que mal começou.

Um exemplo: seu chefe odeia que seus funcionários se alimentem no próprio local de trabalho, já que existe para isso uma copa bem montada na empresa. Se, mesmo sabendo disso, você insistir em abrir aquele pacote de salgadinho sabor (e fragrância!) churrasco enquanto trabalha, claramente mostrará a ele que gosta de desafiar regras!

O mesmo pode acontecer com os famosos ringtones do celular. Você sabe que seu chefe odeia os diferentes toques no local de trabalho; sendo assim, por que insistir? Você não perderá nada deixando o seu aparelho no modo silencioso, certo?

 

Reação às boas e más notícias

Com o passar do tempo, você poderá conhecer a forma como o seu chefe espera que você lhe transmita um fato novo, seja ele bom ou ruim: existem pessoas que amam a comunicação por e-mail, e outras que adoram o “olho no olho”. Onde seu chefe se enquadra?

Mostre-se sempre disposto a colaborar. De novo, isto não significa ser bajulador, ao contrário, ter atitude: significa interesse pelo que faz, por novos projetos e pelo crescimento da empresa que, em outras palavras, significa também a sua ascensão profissional.

 

Cultive a aproximação

O desafio é encontrar sempre a forma exata de agir. E, para isso, não se sugere aqui ser o famoso “baba-ovo”, aquele que diz amém a tudo que seu chefe opinar. Pelo contrário, a proposta é de cultivar um relacionamento, como acontece em tantas outras esferas do cotidiano: na amizade, no namoro ou no casamento não é necessário conhecer bem a outra parte e evitar assim o desgaste?

É fundamental que você saiba se colocar e conheça o seu superior o suficiente para construir um relacionamento na medida certa. Sabendo respeitá-lo nas pequenas coisas mostrará entendimento às regras e, principalmente, à opinião dele, o que é meio caminho andado! Mostrando respeito e coerência, você terá condições de apresentar seus pontos de vista, algumas ou muitas vezes diferentes do dele, e será ouvido no momento certo!

Na discussão de um projeto, por exemplo. Caso ele lhe veja como alguém que discorda sempre, jamais ouvirá o seu ponto de vista durante uma reunião importante. Do contrário, mostrando-se coerente e observador, sabendo a melhor forma de se posicionar e no momento certo, terá a chance de ser ouvido numa situação decisiva como esta!

 

Falsas expectativas

Não espere do seu chefe um comportamento acessível durante todo o tempo. Ele tem os seus afazeres, seus compromissos e, assim como você, também sofre pressão: seja do supervisor acima dele ou dos clientes e sócios, caso seja dono da empresa.

Veja a relação patrão-empregado como uma via de duas mãos: ambos cultivarão este relacionamento e deverão ter responsabilidades sobre ele, porém, cada um na sua posição. Lembre que a hierarquia existe: tenha consciência que, por melhores amigos que um dia possam se tornar, vocês exercem funções bastante distintas dentro da empresa e, neste local, as relações de trabalho devem sempre prevalecer.

Manter um bom relacionamento com seu chefe não deve ser visto como uma missão impossível! Não o coloque jamais numa posição inatingível: ele tem problemas como você, adoece como você e pode fraquejar em alguns momentos também! Conhecendo-o melhor e usando o seu bom senso você poderá construir um elo bastante salutar e duradouro. Boa sorte!

InfoMoney – 07.11.2005