Quando alguém precisa de uma psicóloga?

Muitas pessoas procuram uma psicóloga quando necessitam resolver um problema ou tem em mente desenvolver uma potencialidade, conhecendo a si mesmo.

Consulta Psicológica

A ajuda de uma psicóloga favorece tanto aquele que está em um momento estável da vida, porque lhe ajuda a projetar-se em seu futuro. Cria-se uma facilidade para planejar e executar planos profissionais e afetivos, adequando suas capacidades as situações mais propícias para conquistas e realizações. A psicóloga ajuda também àquele que passa por um momento instável, de dúvidas, incertezas profissionais, oscilações de humor, conflitos familiares e amorosos, entre outros problemas que iremos ressaltar logo abaixo.

Segundo alguns especialistas, como Brown & Pedeer (1981), é um consenso entre os profissionais e pesquisadores que um terço dos pacientes que procuram um médico têm basicamente problemas emocionais. Assim, podemos pensar que uma grande parte das pessoas que procuram os serviços de saúde se beneficiaria de uma psicoterapia.

 

Problemas

  • Relacionados com a Vida Amorosa e Afetiva.

Situações ligadas às relações com namorado (a), parceiro (a), esposo (a), amigo (a), onde a parte afetiva está em conflito. A psicóloga pode te orientar em diversos aspectos relacionados a este assunto. Fatores pessoais e ambientais podem interferir no seu envolvimento com o seu parceiro (a) e a partir de uma boa reflexão é possível melhorar as crenças sobre esta relação.

  • Relacionados com o Corpo e a Imagem Corporal.

A psicóloga favorece uma reflexão sobre situações onde sua autoestima pode estar comprometida devido a inseguranças com o corpo, com a autoimagem. Traumas vivenciados na infância que podem influenciar hoje sua forma de encarar o mundo e principalmente de se encarar.

  • Relacionados com a Atividade Profissional.

Dificuldades, conflitos que podem interferir em seu desempenho profissional. Dúvidas de como agir, de como lidar com pessoas, gestão, dinamismo. Indecisão sobre tomada de atitudes e escolha da carreira. A interação com a psicóloga é um meio para construção de novas expectativas e revisão de comportamentos que podem favorecer ou atrapalhar seu crescimento profissional.

  • Relacionados com a Sexualidade.

Conflitos com seu próprio desejo. Conflitos com desejos do parceiro (a), inseguranças, obsessões, dúvidas sobre a própria sexualidade. Durante o processo de escuta a psicóloga lhe apresentará dados que possam estar interferindo na forma como você lida com suas necessidades intimas.

  • Problemas de Comportamento e Agressividade.

Problemas no relacionamento interpessoal, autoagressão, sentimentos de culpa, raiva, conflitos. Em uma conversa durante a sessão com a psicóloga estes componentes serão trabalhados e investigados a fundo. Isto é importante para que haja o entendimento de como você reage aos seus próprios impulsos e aos impulsos alheios.

  • Problemas com os Filhos e/ou com os Pais.

Relacionamento conturbado, confiança, dependência, ausência, entre outros. Uma boa atenção para este campo familiar favorece a tomada de consciência e a psicóloga conduzirá de maneira propícia para que você encontre a solução menos dolorida para resolver os problemas.

  • Problemas com Cônjuges ou Parceiros (as).

Separações, brigas, indiferença, falta de desejo, falta de compreensão, resistências, dúvidas e inseguranças. São dificuldades que abalam o relacionamento e poderão deixar muitas mágoas entre os pares a não ser aprendam a lidar de uma forma especial com cada conflito apresentado.

  • Estados de Tristeza ou Ansiedade.

Situações que ocasionam ou ocasionaram tristeza, ansiedade, falta de motivação e apatia. Descobertas das causas dos sentimentos que o aflige.

  • Problemas com a Integração nos Grupos Sociais.

Dificuldade para se relacionar, para se envolver e relaxar. Dificuldade em confiar nas pessoas. Medo da rejeição.

  • Problemas relacionados com Doenças de Familiares próximos.

Medo da perda, medo do sofrimento, medo do desamparo e da dúvida. Principalmente medo de lidar com a própria impotência frente a morte.