Categoria: Terapia

Importância do Tratamento Psicológico

Importância do Tratamento Psicológico? Quando e Por Que Fazer Terapia?

A Psicoterapia como parte de sua vida

Buscar por um Psicólogo ou Psicóloga significa:

Necessidade de ajuda psicológica, tentativa de entender a si e aos outros, busca por compreensão de problemas. O autoconhecimento ajuda o ser humano a decidir melhor, sem tantos conflitos. Uma pessoa neutra, preparada para ouvir com atenção, detectar suas emoções e sentimentos, analisar seu comportamento sem julgar, fornecer conhecimentos sobre sua própria vontade e intenção. A psicóloga, psicoterapeuta está apta para favorecer o acolhimento e facilitar-lhe um momento único onde você é o protagonista de sua história.

A responsabilidade primordial para a vida é o respeito consigo mesmo, um olhar detalhado e cuidadoso em sua forma de pensar, sentir e agir.
Com uma observação calma e perspicaz é possível que você chegue a espaços até então desconhecidos de sua própria personalidade. Encontrando respostas significativas para suas atitudes e sentimentos contraditórios, difíceis de lidar.

A terapia é um momento único e particular onde a relação com a psicóloga se torna agente de mudanças. O que impulsiona as transformações são suas próprias angústias e a necessidade de reformulações, decisões, reconhecimentos, aceitações e propósitos.

 

A Busca:

Fazer Terapia

Por que procurar um psicólogo? Quando deve ocorrer? Todos precisam de terapia?

Não considerando casos extremos onde a busca é inevitável por uma série de contingências que rodeiam algumas pessoas, como responder às questões acima, tão comuns na vida de quem abraça esta profissão? Por ser rotineiramente abordada sobre este tema, principalmente em situações “não clínicas” ( o clima descompromissado permite mais facilmente esta “investigação”), decidi fazer algumas pontuações, mesmo que de maneira extremamente sucinta e superficial. Tento aqui responder à curiosidade que cerca um bom número de pessoas que apesar de se sentirem atraídas, não tiveram movimento de busca ou por inibição, ou por não terem conhecimentos mínimos do que seja.

Sendo assim…
Quando as coisas se confundem…
Quando a infelicidade parecer ser maior do que a que podemos suportar…
Quando cremos que o destino nos prega peças…
Quando nos sentimos vítimas das situações que nos envolvem…
Quando nos percebemos excessivamente queixosos…
Quando atribuímos a outros a responsabilidade que é nossa…
Quando sentimos desconforto emocional…parece nada estar bom…
Quando não percebemos que podemos optar…
Quando não percebemos nossa impotência…
Quando sofremos perdas significativas…
…creio que a decisão de buscar um processo terapêutico seja bastante acertado.

“Mas a psicóloga não vai resolver o meu problema…”

É correto. No entanto, é esperado que este indivíduo descubra junto a este trabalho clínico, não só caminhos alternativos como também que passe a enxergar a problemática de uma outra maneira, sem tanta dor. Conseguir ver o outro lado da moeda faz com que as pessoas redimensionem a situação e com isto passem a lidar com ela de maneira menos extenuante.

“Isto é coisa para louco e eu não sou…”

Argumentos deste tipo ainda, infelizmente existem. Geralmente acompanham pessoas que além de serem radicais, tem sua vida pautada naquilo que o outro vai pensar. Estão presas a estereótipos consagrados por uma cultura ultrapassada. Muitas vezes são os que mais precisaria deste tipo de ajuda.

“Eu não preciso deste tipo de auxílio; eu sei lidar com a vida…”,

Mesmo que apresente alterações de humor, visíveis pelas pessoas que com ela convivem. Mostram temor em se expor, em serem vistas; trata-se de pessoas que tem muito medo de si mesmo, fantasiando culpas e, portanto punições. Não conseguem perceber como esta onipotência é pesada.
Verdades cristalizadas, sustentadas e perpetuadas, absorvidas no seio familiar, nunca repensadas são, muitas vezes as causadoras de transtornos emocionais que serão minimizadas, clarificadas, atenuadas ou resolvidas através do conhecimento de si próprio, através do diálogo consigo mesmo, intermediado e traduzido pela figura do terapeuta; o refletir, o voltar-se para “dentro”, o buscar as razões, embora algumas vezes dolorido (outras vezes gratificantes), traz a tona aspectos até então adormecidos mas nem por isto menos atuantes. A constatação mais evidente desta situação são as tão faladas doenças psico-somáticas; aparecem sob forma orgânica como mais um aviso de que as coisas não vão bem.
Quero enfatizar que embora tenha pontuado alguns exemplos quase que a justificar o envolvimento com o processo terapêutico, o grande objetivo deste trabalho é o crescimento pessoal que fatalmente vem em decorrência auto-conhecimento, independente de ter-se ou não alguma queixa específica.

É através do relato oral projetando o pensamento ( que deve estar carregado de emoção), que se chega a descobertas. O sentir, o reviver, o trazer para dentro do consultório, episódios eleitos pelo próprio indivíduo faz com que pouco a pouco se inicie a discriminação e o reconhecimento interior, tão necessários para a saúde mental; o entrar em contato com nossas “coisas”, com nossos conflitos, nem sempre é “leve” mas com certeza é passar a conviver com as verdades, tão fundamental para o real fortaleciment o.

O ter para si a “posse” daquele horário e local onde tem-se o direito de ser por inteiro, falar o que quiser, explorar temas escolhidos, buscar fundamentos, falar e aprender a ouvir a própria voz numa interação de empatia com o terapeuta, o ter o espaço próprio, diante de tanta solicitação da vida, é uma situação não só gratificante como enriquecedora.

Por ser um trabalho pessoal, o vínculo só se concretizará, só se estabelecerá propiciando mudanças, se a entrega real, verdadeira, se a opção vier de foro íntimo e não cumprindo “ordens” de parentes bem intencionados que sugeriram este tipo de tratamento. Evidentemente que colhemos opiniões aqui e acolá mas que estes argumentos tenham servido para convencer sinceramente e não como alguns casos que dão este passo para livrar-se de tantos “palpites” trazendo no seu bojo a resistência e a descrença; neste caso a busca é infrutífera. É a pessoa que tem que querer, ninguém mais, pois o desejo é do outro e não dele mesmo. Há necessidade ímpar de disponibilidade interna.

O investimento em nós mesmos é não só um direito como um dever que todos temos pois, ao passarmos por exemplo, da autocomiseração, da fragilidade, do choro lamentoso, da pseudo-alegria ou simplesmente da situação rotineira e comum para um estado emocional realmente fortalecido, passamos a atingir aqueles que nos rodeiam de maneira também positiva e criativa.

É por este motivo por exemplo que não são raros os casos de encaminhamento para terapia a mãe ou o pai ao invés do filho que está apresentando algum problema. Identificou-se neste caso o quanto são os pais os geradores destes conflitos que despejaram nos filhos suas angústias, seus temores, seus anseios, suas expectativas.

Sentimentos tais como inveja, rejeição, raiva, tão comuns nas relações familiares, por serem condenados na nossa cultura, geralmente são negados sendo, por conta disto canalizados de forma distorcida gerando irritação, autoritarismo, ausência de compreensão. O nível de exigência entre marido e mulher são também muitas vezes o causador de discórdias conjugais pois é difícil aceitar do outro o que ele pode dar e não o que eu quero que ele dê; este é um caso que tipifica a confusão emocional por ignorarem que são pessoas diferentes embora haja forte afeto; são aqueles casos que se sustentam pela cobrança e queixa no dia a dia: “…você poderia ter trazido… você poderia ter se lembrado…” ficando o estabelecido, sempre neste tempo verbal (poderia, gostaria) acompanhado do complemento “…se você gostasse… se você quisesse…”

Renunciar as próprias vontades significa renunciar a si mesmo e, quando “acordamos”, percebemos que somos muito mais fruto daquilo que pensam que somos do que aquilo que realmente somos.

O assunto é extensíssimo e muitos outros fatores poderiam ser abordados. Jamais teria a pretensão de esgotá-lo. Ficam registrados aqui apenas uns poucos enfoques ilustrativos como pinceladas dentro de um trabalho desafiante.

Comecei com perguntas e termino com elas:

Quem é você além dos diversos papéis que desenvolve (pai, mãe, filho, namorado, profissional, amigo…)? Diante de todo este emaranhado, você consegue se olhar?

Psicoterapia

Psicoterapia

Porque procurar um tratamento psicoterapêutico?

Os conceitos básicos em psicoterapia segundo CORDILOLI (1998):

Relação psicoterapêutica – um dos fatores considerados importantes na manutenção da psicoterapia é o estabelecimento do vínculo afetivo entre paciente e psicoterapeuta, de modo que haja um interesse genuíno na fala e na escuta, além da capacidade de preocupar-se com o seu semelhante, atendo-se a sua verbalização e esforço para que seja compreendido e valorizado;

Insight – processo pelo qual o significado, a importância, ou o padrão de uso de uma experiência torna-se claro – ou o entendimento que resulta deste. É necessário certo grau de inteligência, nem sempre a simples compreensão intelectual é suficiente para que ocorra uma mudança efetiva, portanto se torna necessário que ocorram sentimentos verdadeiros e um envolvimento emocional de ambos, mas cada um no seu papel.

Motivação – desejo de realizar mudanças na vida de forma consciente, mediante a solução de problemas. O paciente apresenta um determinado grau de sofrimento psicológico e de desconformidade com as desadaptações que o transtorno acarreta-lhe, além de buscar espontaneamente o tratamento reconhecendo sua responsabilidade em progredir (CROWN, 1983 apud CORDIOLI,1998).

1 – QUEM É O PSICÓLOGO?

 

O psicólogo é um profissional com formação em curso superior de Psicologia, que atende pessoas com algum sofrimento na área afetiva, emocional, relacional, pessoal, ou ainda, pessoas que não apresentam nenhum problema específico, mas querem refletir sobre alguns aspectos da sua vida ou simplesmente se conhecerem melhor. Os psicólogos que fazem psicoterapia têm que estar inscritos no Conselho Regional de Psicologia, órgão cuja finalidade é orientar, disciplinar e fiscalizar o exercício da profissão. O número de inscrição, identificado como CRP, deve constar em todos os documentos emitidos pelo psicólogo e o paciente tem o direito de solicitar a apresentação da carteira de identificação emitida pelo CRP. Opsicólogo não é um médico, portanto não poderá prescrever medicações às pessoas que o procuram. Seu trabalho é ouvir as pessoas e ajudá-las a buscar recursos para lidar melhor com suas dificuldades.

2 – O QUE É PSICOTERAPIA OU TRATAMENTO PSICOLÓGICO?

 

A psicoterapia é o tratamento feito pelo psicólogo ou psiquiatra com formação em psicoterapia através de métodos verbais (fala) ou não verbais (expressão corporal, trabalhos com o corpo), de problemas de natureza emocional e tem como objetivo remover, modificar ou retardar sintomas psicológicos ou psicossomáticos, aliviando assim o sofrimento do indivíduo e o ajudando a relacionar-se melhor consigo mesmo e com as outras pessoas. É importante ressaltar que todo assunto tratado durante a sessão é confidencial e ficará restrito ao psicólogo e ao paciente.

3 – QUANDO ALGUÉM PRECISA FAZER PSICOTERAPIA?

 

Segundo alguns especialistas, como Brown & Pedeer (1981), é um consenso entre os profissionais e pesquisadores que um terço dos pacientes que procuram um médico têm basicamente problemas emocionais. Assim, podemos pensar que uma grande parte das pessoas que procuram os serviços de saúde se beneficiaria de uma psicoterapia.

4 – QUAIS OS TIPOS DE PSICOTERAPIA QUE EXISTEM E QUE PROBLEMAS PODEM SER TRATADOS?

 

Existem diferentes tipos de psicoterapia e a decisão por um ou outro tipo vai depender dos problemas que estiverem acontecendo com a pessoa, o casal ou sua família.

Se for uma pessoa adulta, a psicoterapia pode ser individual, quando os problemas de ordem afetiva ou emocional que afligem o sujeito dizem respeito a ele mesmo e a sua relação com o mundo, ou ainda quando esta pessoa deseja se conhecer melhor.

Pode-se optar também por uma Psicoterapia de Grupo, quando o sujeito, juntamente com seu psicoterapeuta, chega à conclusão que muitos dos problemas que o estão afligindo podem ser melhor resolvidos em um trabalho conjunto com outras pessoas que estejam passando por problemas semelhantes, ou que de algum modo possam se ajudar a superar suas dificuldades. Entre os problemas que podem beneficiar-se de uma Psicoterapia individual ou de grupo, podemos citar: depressão leve e moderada, distúrbios de ansiedade, distúrbios alimentares (anorexia, bulimia), uso abusivo de álcool e outras drogas, problemas relacionados a dificuldades com a sexualidade, entre outros.

Existem também psicoterapias especificas para crianças e adolescentes, já que para atender estes sujeitos são necessárias técnicas específicas.

A Psicoterapia Infantil, portanto, destina-se a trabalhar com crianças de até 12 anos que apresentam dificuldades de relacionamento com adultos ou com outras crianças, problemas de comportamento como agressividade, apatia, entre outros. A criança pode fazer uma terapia também porque está apresentando problemas de medo excessivo, enurese noturna (urinar nas vestes dormindo), encoprese (evacuar nas vestes), choro indiscriminado e sem causa aparente; ou ainda, porque vivenciou uma situação de trama (foi vítima de abuso sexual, sofreu alguma violência física ou psicológica, foi abandonada, perdeu um parente próximo muito querido etc.).

A Psicoterapia de Adolescentes é indicada quando o adolescente está apresentando dificuldades em atravessar a fase da adolescência. Alguns problemas que podem ser indicação para o adolescente fazer uma terapia são: agressividade, dificuldades de relacionamento com outros adolescentes, uso de drogas, cometimento de atos infracionais, desinteresse pela escola.

A Psicoterapia de Casal é indicada quando o casal está enfrentando problemas em sua relação afetiva/emocional ou dificuldades de ordem sexual. Normalmente os membros do casal são atendidos juntos, sendo enfatizados na psicoterapia os aspectos relacionais e/ou sexuais.

A Psicoterapia de Família deve acontecer sempre que seus membros estiverem enfrentando dificuldades na forma como se relacionam. Estas dificuldades podem ser de natureza diversa, tais como: problemas com um filho adolescente que está usando drogas ou envolvido em atos infracionais, um dos filhos está apresentando problemas de comportamento na escola, a família está enfrentando dificuldades na forma de educar seus filhos (os pais apresentam comportamentos educativos muito violentos, como surras que deixam marcas no corpo da criança). Outra indicação para Psicoterapia de Família pode ser quando houve uma perda brusca e violenta de algum de seus membros, ou ainda a família está em fase de separação e divórcio. Também pode ser indicada a terapia de família quando algum dos seus membros sofre de transtornos mentais e a família precisa encontrar formas de lidar com esta pessoa. Finalmente, a família pode fazer uma terapia conjunta porque deseja melhorar sua forma de se relacionar, conhecer melhor as reações de cada um dos seus membros, ou simplesmente se integrar melhor.

5 – O QUE PODE SER ESPERADO COMO RESULTADO DA PSICOTERAPIA?

 

Os resultados vão depender muito da participação da pessoa, tanto no comparecimento às sessões quanto na disponibilidade em falar sobre os assuntos que o incomodam. É preciso também considerar que as pessoas são diferentes umas das outras e que uns precisarão de mais tempo que outros para se sentir melhor. Finalmente, a confiança do paciente no terapeuta é de fundamental importância para o sucesso da terapia.

COSAM – Secretaria de Saúde – Governo do Distrito Federal

Terapia como Ajuda

Terapia como Ajuda

A Terapia como ajuda para todos que sofrem com suas famílias, seu trabalho seus relacionamentos afetivos, este espaço foi feito especialmente para você!

Psicoterapia é um caminho para descobertas a respeito de si mesmo e dos outros. Durante a relação psicoterapêutica cria-se a possibilidade da reconstrução de novos caminhos, mas depende de você principalmente, se lançar nesta viagem e aceitar ajuda.

 A solução de conflitos – Ajuda Psicológica

Muitas pessoas buscam durante a vida explicações para seus conflitos psicológicos. Mediante a esta necessidade o serviço de psicologia abre espaço para que o ser humano tenha um cenário criado especialmente para ele. Neste cenário é possível através da escuta de um psicólogo se sentir acolhido, aceito, respeitado a fim de obter um maior entendimento de suas vivências emocionais.

Ajuda emocional

psicólogo interpreta as suas emoções, que emergem de comportamentos relacionados a situações de estresse, perdas, separações, luto, depressãoviolência, brigas em relacionamentos amorosos, problemas afetivos, problemas de trabalho e estresse, briga entre irmãos, entre pais e filhos, decisões, problemas conjugais, ansiedade, traumas, impotência, frigidez, doenças, ciúmes, entre outros.

psicólogo está capacitado para lhe ajudar a entender seus sentimentos de raiva, angústia, medo, culpa, solidão, desprazer, tristeza, amargor, desânimo, amor, prazer, felicidade, timidez, euforia, vingança, submissão e controle sobre a vida.

Tomar posse de sua vida é olhar para si mesmo com olhos de apostador, a confiança depende só de você.

Neste texto abaixo você poderá refletir um pouco sobre este momento de sua vida.

“Havia um viúvo que morava com suas duas filhas que eram muito curiosas e inteligentes. As meninas estavam o tempo todo fazendo perguntas. Algumas ele sabia responder, outras não. Algumas vezes não temos realmente a resposta outras preferimos nos abster.

Como todo pai, que quer sempre o melhor para os filhos, ele pretendia oferecer a elas a melhor educação, então mandou as meninas passarem férias com um sábio que morava no alto de uma colina.

O sábio sempre respondia todas as perguntas sem hesitar. Impacientes com o sábio, as meninas resolveram inventar uma pergunta que ele não saberia responder.

Então, uma delas apareceu com uma linda borboleta azul que usaria para pregar uma peça no sábio.
– O que você vai fazer? – perguntou a irmã.
– Vou esconder a borboleta em minhas mãos e perguntar se ela está viva ou morta.
– Se ele disser que ela está morta, vou abrir minhas mãos e deixá-la voar. Se ele disser que ela está viva, vou apertá-la e esmagá-la. E assim qualquer resposta que o sábio nos der estará errada!

As duas meninas foram então ao encontro do sábio, que estava meditando.
– Tenho aqui uma borboleta azul. Diga-me sábio, ela está viva ou morta?

Calmamente o sábio sorriu e respondeu:
– Depende de você… ela está em suas mãos.”

 

Tenha mais Produtividade em seu Dia de Trabalho

Tenha mais Produtividade em seu Dia de Trabalho

Existem vários problemas emocionais que encontram um lugar em nosso coração e se recusam a desaparecer. Com o tempo, estes problemas podem transformar-se em uma espécie de tumor emocional que impacta negativamente nosso cotidiano, tais como falta de concentração, entusiasmo, amor próprio, desejo de mudar, encorajamento, e muitos outros.  Estes problemas podem entrar em nossas vidas de diversas maneiras e canalizar em outras áreas, afetando relacionamentos, vida profissional e saúde.

Read more

Como melhorar sua memória?

Como melhorar sua memória?

Como melhorar sua memória e ativar as conexões fundamentais para favorecer a concentração?

Tem se acreditado por séculos que, conforme envelhecemos, nossas funções cerebrais se deterioram, o que causa impacto e enfraquece a memória. No entanto, estudos e experimentos recentes provaram que nosso cérebro possui a habilidade de criar novos neurônios, mesmo quando envelhecemos, em um processo chamado neuroplasticidade. A saúde mental de uma pessoa depende muito do quão ativa ela é – fisicamente e mentalmente. Se você esquece as coisas rapidamente, ou tem notado um recente enfraquecimento de sua memória, é hora de fazer grandes mudanças em seu estilo de vida para ajudar a melhorar sua memória.

Antes de listar formas de melhorar sua memória, é essencial saber os motivos que podem levar à falha na memória.

As principais razões são associadas ao estilo de vida moderno que as pessoas levam hoje em dia, que inclui dormir pouco, muito estresse, má alimentação, exposição à química, entre outras coisas.

Mas, você pode reverter os danos e até mesmo provocar o crescimento de novas células no cérebro, seguindo as técnicas mencionadas a seguir:

  • Estar fisicamente e mentalmente ativo talvez seja a melhor forma de manter seu cérebro funcionando bem por um longo tempo. Mesmo se você não tem nenhuma queixa de memória, estar ativo irá ajudar a estimular as células e produzir novos neurônios.
  • Seja em casa ou no escritório, deixar tudo organizado pode ajudar a manter seu cérebro organizado também. Manter uma agenda com todas as tarefas e anotações, e lê-lo algumas vezes ao escrevê-lo, pode ajudar a fixar a tarefa em sua memória.
  • Ter uma convivência próxima com seus amigos e familiares, e socializar sempre que puder. Ajuda a deixar longe o stress, as preocupações e a depressão, que são conhecidas por serem as principais razões por trás da perda de memória.
  • Dormir de 7 a 8 horas no mínimo por dia é essencial para seu cérebro consolidar e processar as memórias. Então, não comprometa seu sono, e se você sofre de insônia ou depressão, comece uma terapia ou busque ajuda de um psiquiatra.

Existem muitos games e quebra-cabeças que podem ser jogados frequentemente e ajudam o cérebro a melhorar a criatividade e a atividade cerebral. O cérebro precisa de estímulos constantes para permanecer ativo e jovem. Há muitos sites onde se pode jogar games para o cérebro, e pode-se até tentar dispositivos mnemônicos que ajudam seu cérebro a coordenar e processar informações de uma forma bem ordenada. Isto também ajuda a fragmentar as memórias, de modo que o processo de memorizar e de relembrar torna-se muito mais fácil.

Como ter uma boa noite de sono?

Como ter uma boa noite de sono?

No mundo competitivo de hoje, dormir é mais um luxo do que uma necessidade. Dormir é importante para o ser humano, tanto para o emocional quanto para o físico de um indivíduo. Sono insuficiente ou nenhum sono afeta a saúde e causa desordens psicológicas. Se você tem tido insônia, deve ser por conta de inúmeros fatores, incluindo stress, ansiedade e depressão. A melhor maneira de tratar seu problema de sono, é consultar-se com um psicólogo experiente que pode te ajudar a mudar seu comportamento, administrar sentimentos e emoções que podem interferir em seu sono.

Read more

angústia após fim de relacionamento

Como lidar com a angústia após fim de relacionamento?

A angústia após fim de relacionamento é natural e comum a todos. Porém, homens e mulheres lidam com o fim de um relacionamento …

psicólogo para fim de relacionamento

Psicólogo pode ajudar no fim do relacionamento?

Algumas situações são inerentes a todos os seres humanos. Podemos facilmente dizer que qualquer pessoa já enfrentou ou …

ansiedade e culpa

Ansiedade e culpa: como isso pode arruinar sua forma de se relacionar

Ansiedade e culpa são dois sentimentos inerentes a todos os seres humanos para determinadas situações. Às vésperas de …